terça-feira, 8 de abril de 2014

Transformice

Este jogo não é muito conhecido mas acredito que muitas pessoas joguem.


Antes de começar, quero dizer que já se passaram três meses desde o ocorrido. Só agora tive coragem de ligar novamente o meu computador. Eu tenho que contar o que aconteceu comigo, para que não aconteça nada a mais ninguém.

Transformice é um jogo online viciante criado em 2010. Tu controlas um rato, e o teu objectivo é pegar o queijo e entrar na toca em primeiro lugar. Aparentemente é bem simples, mas a dificuldade devido ao nível de habilidade dos jogadores acaba por o deixar divertido.

Eu costumava jogar este jogo nas madrugadas de sábado para domingo, já que não iria trabalhar no outro dia, e como estava sem sono e não há absolutamente nada para fazer nessas horas, era um bom passatempo.

Era por volta de 1:36 da manhã quando eu entrei na minha conta. Como grande parte dos jogadores são
pré-adolescentes, não se espera ver muita gente online a essa hora. Então eu poderia jogar tranquilo na sala 1, que geralmente é bem cheia na parte da tarde. Tinha cerca de 22 ratos lá.

Continuei a jogar até mais ou menos 2:42 da manhã, e já estava pronto para parar por aqui.
Só estava à espera ser Shaman pela última vez para desligar o computador e ir para a cama. Porém, do nada, apareceu a tela de "carregando" do jogo e meu rato foi direccionado a outra sala. No início
não estranhei, já que isso já tinha acontecido outras vezes. Na sala, só havia dois jogadores: eu e outro, que usava o nickname de "Haunteduser". Já que todas as outras salas que eu costumava frequentar estavam vazias, resolvi ficar por lá e treinar um pouco. E foi aí que as coisas começaram a ficar estranhas.

O Haunteduser, que permanecia calado durante a passagem de cinco mapas, enviou-me uma frase por cochicho, a maldita frase que não sai dos meus pesadelos desde então.

"E quando o relógio badalar o reverso da ressurreição, o prenúncio do sacrifício pela existência do maligno será anunciado."

Obviamente não entendi nada, então respondi apenas com um ponto de interrogação.
Então ele continuou, agora no chat da sala, a enviar algumas frases que não faziam o menor sentido, seguido de vários floods do número "666".
Por coincidência, notei que eu estava na sala 666, não tinha notado antes. E depois de soltar algumas frases estranhas, como "There's no hope..." (Não há esperança..) e "Malicious boy..." (Rapaz maldoso...) várias vezes, percebi que era apenas um idiota metido a satanista a brincar comigo.

Resolvi ignorá-lo e continuar a jogar. De repente, ele soltou mais uma frase:
"O que acontece quando uma alma inocente é lançada ao inferno?"

Ignorei novamente, até que ele disse o nome da minha namorada: "Melissa...", o
que me fez dar um pulo da cadeira. Meio assustado, perguntei: "Quem és?". Nenhuma resposta. "Responde, desgraçado! Qual é o problema?". Novamente nenhuma resposta. "Diz logo quem és!". Foi então
que ele finalmente me respondeu: "Estás com medo, Tom?" Como ele sabia o
meu nome? Fiquei completamente aterrorizado, e perdi a cabeça "Achas isso engraçado? Responde maldito!" Não obtive nenhuma resposta aos insultos. E não obtive respostas por mais ou menos dois minutos.

Achando que ele não responderia, resolvi desistir e apenas fechar o jogo e acabar com a brincadeira de mal gosto. Mas, para a minha surpresa, quando tentei fechar a página do meu navegador, eu não conseguia. Tentei actualizar a página, porém o jogo permanecia ali. Tentei até desligar o computador, porém um som de "tum" agudo indicava que isso não era possível. Já estava pronto para desligar o computador pelo
estabilizador, quando "Haunteduser" soltou mais uma sequência de palavras
sem sentido.

"There's no hope..."
"Malicious..."
"Malicious boy..."

E disse uma última coisa antes de sair: "É melhor preparares-te, Tom. A alma dela agora é minha."
Antes de que eu pudesse perguntar sobre o que ele estava a falar, ele saiu da sala. Fiquei sozinho. Quando olho no relógio, ele marca exactamente 3 da manhã. De repente, o telefone toca, e é o irmão da minha namorada, a dizer que ela passou mal no meio da noite e foi levada para o hospital.

Vesti-me o mais rápido possível e fui até o hospital em que ela estava internada. Assim que acabara de chegar, a sua mãe estava desmanchando-se em lágrimas. O seu pai estava sentado no sofá da sala de
espera, com as mãos juntas perto da boca, e os olhos vermelhos e cheios de lágrimas. O seu irmão esmurrava as paredes enquanto chorava desesperadamente, e os enfermeiros tentavam segurá-lo. Foi então que o médico chegou perto de mim, e disse que Melissa teve uma parada cardíaca e não resistiu. Ela estava morta.

Naquela noite eu não consegui dormir. Nem nas noites seguintes. Aquela maldita profecia feita por aquele maldito sádico assombrou os meus pesadelos por várias e longas noites.
O corpo de Melissa foi levado para o IML para saber a causa da morte, que até então era desconhecida.
Ela não tinha nenhuma doença cardíaca, nem fumava ou bebia, o que deixou os médicos extremamente intrigados.

Ainda hoje pergunto-me quem era aquele rapaz. Seria algum demónio que me amaldiçoou com uma profecia terrível, ou algum conhecido que só estava realmente a brincar comigo e tudo aquilo não passava de uma coincidência macabra?

Passou-se uma semana após a morte de Melissa. A sua mãe telefonou-me, avisando sobre a data do velório. Lá estavam todos os nossos amigos, cabisbaixos, vestidos de luto. Então a sua mãe chegou perto de mim, com um envelope nas mãos, que logo entregou-me, com uma expressão séria.
Meio sem entender, abri o envelope. Era o resultado dos exames de Melissa do IML. Comecei a ler, e não pude acreditar no que meus olhos estavam a ver. Na segunda linha, do segundo parágrafo do exame, dizia:
"Causa da morte: Infecção por mordidas de rato."

2 comentários:

  1. Tem coisa mais linda que a escrita dos português?
    Nunca li essa creepy com tanta facilidade!
    Parabens pelo blog. Espero que voltem a postar.

    ResponderEliminar